Amamentação: qual a importância e os benefícios para o bebê?

Amamentação: qual a importância e os benefícios para o bebê?

Amamentação: qual a importância e os benefícios para o bebê?

Amamentar é uma das fases mais importantes para mãe e bebê. Além de criar um vínculo entre os dois, alimentar o bebê com o leite materno oferece benefícios para a saúde de ambos. Em comemoração ao Dia Mundial da Amamentação em 01 de Agosto, fique sabendo mais sobre esse assunto.

Qual a importância do aleitamento materno?

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o leite materno deve ser a alimentação exclusiva do bebê até seus 6 meses de idade. Considera-se que, antes disso, não há vantagens em oferecer outros alimentos, podendo acarretar prejuízos para a saúde da criança.

O aleitamento materno protege o bebê contra infecções com a presença de diversos fatores imunológicos como a IgA secretória ou Imunoglobulina A, anticorpo que atua contra microrganismos presentes nas superfícies mucosas.

As fases do leite materno

O leite materno passa por três fases: colostro, leite de transição e leite maduro. O colostro acontece durante os 5 primeiros dias após a lactação. Ele contém mais proteínas e minerais que o leite maduro e menos gorduras e carboidratos. Mesmo com sua pouca quantidade no primeiro dia, entre 10ml e 50ml, os recém-nascidos não precisam de nenhuma alimentação adicional nesse período.

Até o 15° dia, ocorrem mudanças químicas e imunológicas, gerando o leite de transição que possui mais gorduras e nutrientes, favorecendo o crescimento das crianças. Por fim, o leite maduro ou definitivo é o leite que irá alimentar o bebê até o fim da amamentação, contendo nutrientes indispensáveis para o desenvolvimento dos pequenos, tanto corporal quanto cognitivo.


Os benefícios da amamentação

Você sabia que o aleitamento materno traz benefícios tanto para o bebê quanto para as mamães? Então conheça um pouco das vantagens da amamentação:

Benefícios para a mãe

  •          Combate a hemorragia pós-parto e acelera a recuperação da mulher
  •          Facilita a perda do peso ganho durante a gravidez
  •          Ajuda a diminuir o risco de câncer de mama, ovário e útero
  •          Diminui o risco de desenvolver diabetes tipo 2

Benefícios para o bebê

  •          Previne doenças como diabetes, hipertensão e colesterol alto
  •          Diminui a taxa de mortalidade infantil
  •          Diminui o risco de alergias
  •          Evita infecções respiratórias
  •          Melhora o desenvolvimento da cavidade bucal

Quando não é possível amamentar o bebê?

Há algumas situações em que há restrições para o aleitamento materno, podendo trazer prejuízos ao bebê. São elas:

  •          Mães infectadas por HIV;
  •          Mães infectadas por HTLV 1 e HTLV 2;
  •          Mães usuárias de drogas ou bebidas alcoólicas, uma vez que essas substâncias passam para o leite materno;
  •          Criança portadora de galactosemia, fenilcetonúria ou outra doença metabólica que impeça o bebê de digerir o leite corretamente.

alternativas para quando a mãe não pode amamentar como recorrer ao Banco de Leite Humano (BLH). Algumas mulheres que produzem alto volume de leite doam a parte excedente a esses estabelecimentos que recebem e tratam o leite materno para distribuição sem fins lucrativos.

Outra opção é o uso das fórmulas infantis que são, em sua maioria, feitas à base de leite de vaca. A essas fórmulas são acrescentadas vitaminas, minerais, gorduras e probióticos para tentar reproduzir o leite humano artificialmente. Lembrando que o médico é quem deve decidir qual fórmula infantil é mais indicada levando em consideração a idade, o desenvolvimento e as necessidades da criança.

Whatsapp da Nossa Loja
Cookies: a gente usa cookies para personalizar sua navegação e garantir acesso à todas funcionalidades da loja. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Cookies

Aguarde...

Aguarde...
Recalculando valores!